"As obras em que a juventude não participa estão golpeadas de esterilidade."
Padre Dehon

Água batismal e Ressurreição

Sexta-feira, 03 de Abril de 2015 - 20h13

Foram colhidas no livro “Meditando a Palavra-Páscoa 3”, de autoria do Pe. Augusto César Pereira SCJ, editado pela “Paulus”.

               Caríssimo visitante, paz.

               
Para alimentar sua participação nas celebrações do Tríduo Pascal, oferecemos as breves reflexões que seguem. Esperamos que lhe sejam de muito proveito.

               
Feliz Páscoa na Ressurreição do Senhor!

 

               Depois da recordação gostosa das maravilhas de Deus em favor da Humanidade, chegamos ao acontecimento ímpar da Ressurreição.  A Vigília Pascal celebra a comunicação de todos os benefícios conquistados por Cristo no seu Mistério Pascal. Os benefícios da Ressurreição nos são comunicados pelo sacramento do Batismo. É o momento da Liturgia Batismal.

               A travessia do Mar Vermelho - A água do Mar Vermelho separou a liberdade da escravidão. Depois que o povo hebreu atravessou e ganhou o outro lado do mar, as águas engoliram a escravidão; e o povo salvo pelas águas respirou a liberdade. Há um antes e um depois da passagem pelo Mar Vermelho (cf. Dt 11,4).

               A água batismal abençoada na Vigília Pascal recorda a potência libertadora da água do Mar Vermelho e recebe a mesma força da graça libertadora para aplicar aos novos discípulos que quiserem comprometer-se com Cristo em sua Igreja.

               Assim, nossas raízes cristãs estão nessa passagem. São Paulo compara essa verdade com a expressão do “homem velho”: a água do batismo separa o homem novo do homem envelhecido pelo pecado e pela morte. O velho foi absorvido pela água batismal e ao mesmo tempo tornado novo pela mesma água. Há um antes e um depois das águas do Batismo (cf. Rm 6,6).

               É natural que haja tal destaque ao Batismo. Pelo Batismo, nós passamos pela água (Mar Vermelho). A água é o sinal da vida nova da qual somos revestidos pelo Batismo. Água é sinal de vida. Daí o simbolismo da água, no Batismo. O Batismo aplica os méritos da Ressurreição do Senhor: passamos do pecado para a graça do Amor; da morte por causa do pecado, para a vida nova do Amor.

               Comunidade da Nova Aliança -      O Batismo, então, introduz as pessoas na comunidade do novo Povo de Deus.  O Batismo é essencialmente o sacramento da comunidade.  O batizado é uma pessoa de comunidade.  Batizado isolado é a negação do próprio Batismo.

            Pelo Batismo, as pessoas, na comunidade, se tornam parceiras da Nova Aliança, agora no sangue de Jesus Cristo.

            Por isso que o Batismo é o primeiro dos sacramentos, porque ele nos coloca em condições de participar dos demais sacramentos.

            Renovação das promessas batismais - Conscientes de tudo isso, na Vigília Pascal, renovamos as promessas que recordam os compromissos do nosso Batismo.

            Os dois efeitos essenciais do Batismo são: - liberta do pecado e introduz na vida nova da graça do Amor; introduz as pessoas na comunidade do Povo da Nova Aliança, na Igreja.

           Reflexão – Quais das minhas atitudes revelam a mística pascal de “dar a vida por amor aos irmãos(ãs)”?

Pe. Augusto César Pereira SCJ

  • Relacionadas

  • A ressurreição é a maior Páscoa de todos os tempos

    Sábado, 04 de Abril de 2015 - 20h24

    Feliz e abençoada Páscoa na Ressurreição do Senhor!

  • Jesus era culpado de quê?

    Quinta-feira, 02 de Abril de 2015 - 20h20

    Reflexão – Quais das minhas atitudes revelam a mística pascal de “dar a vida por amor aos irmãos(ãs)”?

  • “Façam o mesmo que eu fiz”

    Terça-feira, 31 de Março de 2015 - 06h00

    Caríssimo visitante, paz. Para alimentar sua participação nas celebrações do Tríduo Pascal, oferecemos as breves reflexões que seguem. Esperamos que lhe sejam de muito proveito. Feliz Páscoa na Ressurreição do Senhor!

Álbum de fotos

apoio
A
Copyright© candelaria.org.br. Todos os direitos reservados / All rights reserved.