"O jovem é a mais bela criatura de Deus, é a esperança do provir."
Padre Dehon

Papa Francisco adverte sobre as pessoas que creem fazer tudo bem e não são humildes

Segunda-feira, 24 de Outubro de 2016 - 23h42

“a lei não foi feita para nos escravizar, mas para nos libertar, para nos fazer filhos”, e advertiu que, “por trás da rigidez, tem sempre outra coisa, sempre!”.

VATICANO, 24 Out. 16 / 09:30 am (ACI).- A rigidez nas normas, na lei “não é um dom de Deus”, disse o Papa Francisco ao presidir a Missa na Casa da Santa Marta. Na homilia, o Pontífice falou sobre o Evangelho do dia, no qual Jesus cura uma mulher no sábado, dia sagrado para os judeus.

“Não é fácil caminhar na Lei do Senhor”, é “uma graça que devemos pedir”, assegurou. Ante as acusações que fazem a Jesus por ter violado a lei do sábado, chamam-no de hipócrita, uma palavra que “repete tantas vezes aos rígidos, àqueles que têm uma atitude de rigidez em cumprir a lei”, assegurou.

Entretanto, o Papa observa que “a lei não foi feita para nos escravizar, mas para nos libertar, para nos fazer filhos”, e advertiu que, “por trás da rigidez, tem sempre outra coisa, sempre!”.

“Por trás da rigidez, há algo escondido na vida de uma pessoa. A rigidez não é um dom de Deus. A mansidão, sim; a bondade, sim; a benevolência, sim; o perdão, sim. Mas a rigidez não! Por trás da rigidez há sempre algo escondido, em tantos casos uma vida dupla; mas há também algo de doentio”, sublinhou.

“Quanto sofrem os rígidos: quando são sinceros e se percebem isso, sofrem! Porque não conseguem ter a liberdade dos filhos de Deus; não sabem como se caminha na Lei do Senhor e não são beatos. E sofrem tanto! Parecem bons, porque seguem a Lei; mas por trás tem alguma coisa que não os torna bons: ou são maus, hipócritas ou são doentes”, acrescentou.

Em seguida, o Santo Padre recordou a parábola do filho pródigo, na qual o pai acolhe com alegria o filho mais novo que regressa à casa arrependido.  “Esta atitude mostra o que há por trás de certa bondade: ‘a soberba de se julgar justo’: atrás deste comportar-se bem há soberba”.

“Um filho sabia que tinha um pai e no momento mais obscuro da sua vida foi até ele; o outro via o pai somente como patrão, mas nunca o havia visto como pai. Era um rígido: caminhava na Lei com rigidez”.

“O outro deixou a Lei de lado, foi embora sem a Lei, contra a Lei, mas a um certo ponto pensou no pai e voltou. E obteve o perdão. Não é fácil caminhar na Lei do Senhor sem cair na rigidez”.

Ao concluir, o Pontífice disse: “Peçamos ao Senhor, rezemos pelos nossos irmãos e as nossas irmãs que pensam que caminhar na Lei do Senhor significa se tornar rígidos. Que o Senhor lhes faça sentir que Ele é Pai e que Ele gosta de misericórdia, de ternura, de bondade, de mansidão e de humildade. E ensine todos a caminhar na Lei do Senhor com essas atitudes”.

Fonte: ACIDigital

  • Últimas matérias

  • Logotipo do sínodo arquidiocesano

    Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017 - 07h25

    Na imagem, a Catedral da Sé, símbolo da Igreja em São Paulo, aparece em meio a prédios e uma casa, representando a inserção da Igreja na cidade.

  • Novena Nossa Senhora Aparecida

    Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017 - 05h52

    Vamos juntos, filhos e filhas, agradecer tantas graças recebidas em nossa vida, nossas famílias, nossas comunidades e nas 65 Paróquias de nossa Região Episcopal Sant’Ana.

  • Pensando o Sínodo Arquidiocesano

    Quinta-feira, 14 de Setembro de 2017 - 09h10

    Um pressuposto essencial do sínodo arquidiocesano é o envolvimento amplo da inteira comunidade eclesial, chamada a se interessar na busca do maior bem da Igreja em São Paulo.

  • A Iniciação à vida cristã fortalece as vocações

    Sexta-feira, 04 de Agosto de 2017 - 04h25

    A Paróquia - casa de iniciação à vida cristã - é um impulso do Espírito Santo e um itinerário seguro para a formação de discípulos missionários.

  • Papa: superar todas as formas de racismo e de intolerância

    Terça-feira, 18 de Julho de 2017 - 11h20

    Cidade do Vaticano (RV) – “É preciso superar todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana.” Com um tuíte, o Papa Francisco recorda a celebração neste 18 de julho do Dia Internacional Nelson Mandela.

  • todas as notícias

Álbum de fotos

apoio
D
Copyright© candelaria.org.br. Todos os direitos reservados / All rights reserved.