"As obras em que a juventude não participa estão golpeadas de esterilidade."
Padre Dehon

Da Paixão a Ressurreição de Jesus

Domingo, 16 de Abril de 2017 - 19h11

E não importa o que aconteça, Ele está sempre com o sorriso no rosto e de braços abertos esperando por nós.

          Jesus se deu por nós, para nos salvar. Pagou por nossos pecados. Foi levado até a Cruz onde morreu depois de ser condenado, castigado pelos soldados, sofrer pelas ruas da cidade, ser humilhado....

          Tinha sido recebido para a Páscoa em Jerusalém com muita festa montado em um jumento, onde as pessoas balançavam seus ramos saudando-O. Já sabendo que seria crucificado, Jesus celebrou com os Apóstolos a Última Ceia e pediu que seus gestos fossem repetidos para ser lembrado (Corpo e Sangue). Ele demonstrou humildade ao lavar os pés dos discípulos e mostrando que veio para servir.

          Depois de tudo o que fez pelo seu povo, ensinando o caminho da Salvação, foi colocado a prova e desacreditado. As pessoas riram Dele, disseram inverdades, trataram-No como se fosse um criminoso. Chegaram ao ponto de pedir para libertarem um ladrão ao invés de Jesus.

          Em meio a tudo isto, se encontrava Maria, a mãe de Jesus, que silenciosamente acompanhava Seu Filho de longe, sem interferir, pois sabia que tudo isto era necessário. Sofria em silêncio. Com o coração apertado. Amparada apenas por Maria Madalena, João, o discípulo amado e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas.

          Algumas pessoas até poderiam querer ajudar, mais com medo, preferiram ficar quietas e caladas. Após Jesus ser pregado à Cruz, Maria finalmente pôde encontrar-se com Seu Filho e não O abandonou mais.

          Acompanhou de perto cada gemido de dor, cada súplica, todo o sangue derramado, e pela última vez ouvi-lo dizer: "Mulher, eis aí o teu filho. E, ao discípulo, eis aí tua mãe" (Jo 19, 26-27). Jesus pediu para que João cuidasse dela após Sua morte.

          Quando todos pensavam ser o fim, Cristo retornou, mais vivo do que nunca, e mostrou a todos que é o Senhor da Vida e provou que nem mesmo a morte é capaz de vencê-Lo.

          Nos mostra que, mesmo em meio a tristeza, devemos ter esperança, jamais duvidar, confiarmos que tudo é possível e que devemos ter Fé. Acreditar que Ele jamais irá nos abandonar, pois um Pai não deixa seus filhos.

          Jesus Ressuscitou!

          E não importa o que aconteça, está sempre com o sorriso no rosto e de braços abertos esperando por nós.

Alessandra - PasCom

  • Últimas matérias

  • Logotipo do sínodo arquidiocesano

    Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017 - 07h25

    Na imagem, a Catedral da Sé, símbolo da Igreja em São Paulo, aparece em meio a prédios e uma casa, representando a inserção da Igreja na cidade.

  • Novena Nossa Senhora Aparecida

    Quarta-feira, 20 de Setembro de 2017 - 05h52

    Vamos juntos, filhos e filhas, agradecer tantas graças recebidas em nossa vida, nossas famílias, nossas comunidades e nas 65 Paróquias de nossa Região Episcopal Sant’Ana.

  • Pensando o Sínodo Arquidiocesano

    Quinta-feira, 14 de Setembro de 2017 - 09h10

    Um pressuposto essencial do sínodo arquidiocesano é o envolvimento amplo da inteira comunidade eclesial, chamada a se interessar na busca do maior bem da Igreja em São Paulo.

  • A Iniciação à vida cristã fortalece as vocações

    Sexta-feira, 04 de Agosto de 2017 - 04h25

    A Paróquia - casa de iniciação à vida cristã - é um impulso do Espírito Santo e um itinerário seguro para a formação de discípulos missionários.

  • Papa: superar todas as formas de racismo e de intolerância

    Terça-feira, 18 de Julho de 2017 - 11h20

    Cidade do Vaticano (RV) – “É preciso superar todas as formas de racismo, de intolerância e de instrumentalização da pessoa humana.” Com um tuíte, o Papa Francisco recorda a celebração neste 18 de julho do Dia Internacional Nelson Mandela.

  • todas as notícias

Álbum de fotos

apoio
O
Copyright© candelaria.org.br. Todos os direitos reservados / All rights reserved.