"A união com Deus é o mais poderoso remédio para todos os defeitos."
Padre Dehon

A nossa fé

Quinta-feira, 01 de Março de 2018 - 17h15

O nosso testemunho ajudará as pessoas a professar a fé da Igreja, fé forte, vivida na comunidade dos que creem.

          Ao mesmo tempo que contemplamos com esperança diversos sinais de renovação nas nossas Paróquias e comunidades, contemplamos com preocupação as mudanças culturais, sociais, econômicas, religiosas, que necessitamos iluminar com a luz do Evangelho. Temos consciência que o mundo mudou e que os problemas são outros, pelo qual não podemos ficar quietos.

          Nestes dias ouvi novamente a retórica já antiga de que há uma crise religiosa e que as pessoas estão frequentando menos a Igreja. No nosso contexto, parece que a crise não é tanto relacionada a fé, o ato de crer, e sim a compreensão equivocada sobre a forma de se viver verdadeiramente a fé.

          O principal equívoco está no fato de que muitas pessoas vivem a fé “a seu jeito”, sem vínculo com a Comunidade, justificando que fazem suas orações, mas não recordam a última vez que foram à Igreja, que participaram da Santa Missa. Conceber a fé como um ato isolado, sem referência a uma Comunidade é um grave erro, é viver sem um horizonte que ilumine. É uma forma insípida de se viver.

          A Palavra de Deus nos ensina com clareza que os fiéis, ao professarem a fé no Senhor, inseriam-se na vida comunitária: os que abraçavam a fé, perseverantes e bem unidos, frequentavam diariamente o templo, partiam o pão pelas casas e tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração (Cf. At 2,46).

          Quem acolhe Jesus em seu coração, é batizado não pode mais viver isolado, porque a fé não é apenas um ato pessoal, é um ato simultaneamente pessoal e comunitário. O fiel precisa da Igreja, da comunidade paroquial, para cultivar, conservar e fortalecer a fé: “é a Igreja quem carrega, nutre e sustenta a fé dos fiéis. Quando se crê, aceita-se livremente todo o mistério da fé, todo o conteúdo das verdades que a Igreja ensina...e, por ser nossa mãe, a Igreja é também a educadora de nossa fé” (CNBB, subsídios doutrinais, 7, p. 30).

          Mas as pessoas que vivem uma fé isolada, sem referência a uma comunidade dificilmente vão ler o que estou escrevendo ou frequentarão uma comunidade paroquial. Então, por que trato deste tema com pessoas que vivem a fé da Igreja e estão integradas na comunidade?

          Porque a compreensão equivocada sobre a fé poderá ser vencida com nossa colaboração, fecundados pelo amor de Deus e unidos na Igreja, podemos oferecer um testemunho capaz de gerar novos discípulos. No mesmo sentido, seremos uma luz: “Assim deixai a vossa luz resplandecer diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai que está nos céus” (Mt 5,16).

          O nosso testemunho ajudará as pessoas a professar a fé da Igreja, fé forte, vivida na comunidade dos que creem. O nosso exemplo de vida auxiliará as pessoas a readquirir o gosto de alimentar-se da Palavra de Deus, transmitida fielmente pela Igreja, e do Pão da vida, oferecidos como sustento de quantos são discípulos do Senhor Jesus (BENTO XVI, Porta Fidei, 3).

          A fé da Igreja, vivida com a Igreja, gera missionários, torna a comunidade missionária.

Dom Sergio de Deus Borges - Bispo Auxiliar de São Paulo - Vigário episcopal – Região Santana

Álbum de fotos

apoio
D
Copyright© candelaria.org.br. Todos os direitos reservados / All rights reserved.