"O jovem é a mais bela criatura de Deus, é a esperança do provir."
Padre Dehon

SEMANA NACIONAL DA FAMÍLIA

Quarta-feira, 14 de Agosto de 2019 - 17h34

“Maridos, amai vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela.” (Ef 5,25).

          São 3 as características do amor com Cristo ama sua Igreja.

          São 3 pilares que na visão da fé devem sustentar o amor esponsal: amor fiel, perseverante, fecundo.

          São os 3 amores de Jesus: ao Pai, a sua mãe, a Igreja.

          A Igreja é a esposa de Cristo, a esposou por amor.

          A Igreja é a sua esposa bela, santa e pecadora. Jesus ama a Igreja assim mesmo.

          É um amor fiel, é um amor perseverante, não se cansa nunca de amar a sua Igreja.

          Essa fidelidade de Jesus é como uma luz sobre o matrimônio. Fidelidade do amor sempre.

          Se é fiel, é também incansável na sua perseverança.

          A vida do matrimônio deve ser perseverante, senão, não vai para frente. Um só carregando, não aguenta. Não dá, pesa muito, tem que ser assumido: marido e mulher.

          Perseverante no amor em todos os momentos. Momentos bonitos, momentos de festa e nos momentos difíceis quando surgem os problemas com os filhos, problemas econômicos, problemas de doença, problema aqui, acolá. Mas o amor persevera, vai adiante buscando vencer os problemas e salvar o casamento.

          O esposo e a esposa que a cada manhã seguram na mão de Cristo levantam-se, levam a família adiante. Um olhando para o outro com olhar de amor e ambos olhando para Deus: o casamento continua. Deus é um terceiro essencial no meio deles.

          O amor fecundo de Jesus Cristo. Cristo faz a Igreja fecunda gerando novos filhos pelo Batismo.

          O matrimônio deve ser fecundo, gerar filhos. São dons de Deus. Gerar e continuar o ato gerador, formando seus filhos.

          As vezes há casais que são colocados à prova: não vem filhos ou porque estão doentes.

          Há casais que nesta hora olham para Jesus e buscam a força da fecundidade.

          Mas há casamentos estéreis por escolha. Não desejam filhos, optam por viver sem fecundidade. É melhor não ter filhos. Daí os motivos são os mais variados: passear, férias, aquisição da casa na praia ou no campo, compra de carro novo. Agora não.

          Neste caso, vai se aproximando a velhice com solidão, com a amargura de uma solidão difícil. Um matrimônio que não foi fecundo por opção do casal, não fizeram aquilo que Jesus faz com sua Igreja: amor fecundo.

          Matrimônio cristão é fiel, perseverante e fecundo, como o amor de Cristo pela sua Igreja.

Pe. Antônio Marcondes Barbosa, scj - Paróquia N. Sra. da Candelária

  • Últimas matérias

  • Santíssimo Nome de Maria

    Quinta-feira, 12 de Setembro de 2019 - 14h32

    Poderoso é este nome que deve ser invocado sempre e em todas necessidades.

  • Dou graças ao senhor

    Domingo, 08 de Setembro de 2019 - 20h25

    Sou grato pela luz de Cristo que nos conduz e nos conduziu na missão na Arquidiocese, especialmente na Região Santana.

  • PÁTRIA LIVRE

    Sexta-feira, 06 de Setembro de 2019 - 20h17

    Dia 7 de Setembro

  • Santo Agostinho

    Quarta-feira, 28 de Agosto de 2019 - 05h49

    Dia 28 de agosto de 2019

  • Ir além de pequenos projetos

    Segunda-feira, 26 de Agosto de 2019 - 05h06

    Somente Deus pode nos auxiliar a sonhar alto, a passar de projetos razoáveis e horizontais a grandes projetos.

  • todas as notícias

Álbum de fotos

apoio
A
Copyright© candelaria.org.br. Todos os direitos reservados / All rights reserved.