"O jovem é a mais bela criatura de Deus, é a esperança do provir."
Padre Dehon

Pastoral da Pessoa Idosa

Em 2004, no mês de abril, durante a Assembléia dos Bispos do Brasil, foi aprovada a proposta de criação da Pastoral da Pessoa Idosa.

"Ensinai-nos a bem contar nossos anos, e dai ao nosso coração sabedoria!" (Sl 90, 12)

Em 2004, no mês de abril, durante a Assembléia dos Bispos do Brasil, foi aprovada a proposta de criação da Pastoral da Pessoa Idosa. Essa Pastoral veio com a finalidade de construir uma sociedade mais justa e fraterna a serviço da vida e da esperança das pessoas idosas. Ela organiza as comunidades, identifica e capacita os líderes que, na condição de voluntários, são enviados em missão.

Essa missão tem como ponto central visitar as pessoas com 60 anos ou mais. As atividades essenciais para desenvolver a missão são: visita domiciliar mensal e reunião mensal para avaliação e reflexão.

As pessoas que se identificam com essa Pastoral são capacitados por intermédio do “Guia do Líder” e na formação continuada. O líder é alguém da comunidade com o objetivo de ajudar os idosos e suas famílias a ter uma vida digna e identificar as necessidades das pessoas e as angústias que pedem soluções. Ele é também um missionário: doa o seu tempo, visita, escuta, aprende, compreende, anima, leva esperança e compartilha conhecimentos. Enfim, é fermento no meio da massa comunitária.

A frase escrita pelo nosso saudoso e sábio Papa João Paulo II se tornou forte referência em nossa Pastoral: “ Que cada comunidade acompanhe com atenção amorosa todos os que envelhecem”.

Convém lembrar o “Documento de Aparecida”:
448. O respeito e a gratidão dos anciãos deve ser testemunhado em primeiro lugar por sua própria família. A Palavra de Deus nos desafia de muitas maneiras a respeitar e valorizar os mais velhos e anciãos. Convida-nos, inclusive, a aprender deles, com gratidão e a acompanhá-los em sua solidão e fragilidade. A frase de Jesus: “Aos pobres sempre terão com vocês e poderão socorrê-los quando quiserem”( Mc 14,7 ), pode muito bem ser entendida, porque fazem parte de cada família, povo e nação. No entanto, muitas vezes, são esquecidos ou descuidados pela sociedade e até mesmo por seus próprios familiares.

449. Muitos de nossos idosos gastaram suas vidas pelo bem de sua família e da comunidade, a partir de seu lugar e vocação. Muitos são verdadeiros discípulos missionários de Jesus por seu testemunho e suas obras. Merecem ser reconhecidos como filhos e filhas de Deus, chamados a compartilhar a plenitude do amor e a serem queridos em particular pela cruz de suas doenças, da capacidade diminuída ou da solidão. A família não deve olhar só as dificuldades que traz conviver com eles ou o ter que atendê-los. A sociedade não pode considerá-los como um peso ou uma carga. É lamentável que em alguns países não haja políticas sociais que se ocupem suficientemente dos idosos já aposentados, pensionista, enfermos ou abandonados. Portanto, exortamos à criação de políticas sociais justas e solidárias, que atendam a estas necessidades.

450. A Igreja se sente comprometida a procurar a atenção humana integral de todas as pessoas idosas, também ajudando-as a viver o seguimento de cristo em sua atual condição e incorporando-as à missão evangelizadora o quanto possível. Por isso, enquanto agradece o trabalho que já vem realizando religiosas, religiosos e voluntários, a Igreja quer renovar suas estruturas pastorais e preparar, inclusiva, mais agentes, a fim de ampliar esse valioso serviço de amor.

Assim, chamados por esse apelo de Jesus, de partilhar conhecimentos e solidariedade, nós da Pastoral da Pessoa Idosa convidamos a todos a difundirem a boa notícia: para que unidos em rede possamos participar da construção de uma sociedade mais justa a serviço de uma vida de esperança com dignidade.

“É preciso aprender com o vinho a envelhecer sem virar vinagre” (D. Helder Câmara)
Maria Sumair de Godoy Maroto
Relacionadas

Álbum de fotos

apoio
Fotos Hatiro
Copyright© candelaria.org.br. Todos os direitos reservados / All rights reserved.